Desafio

Como podemos promover e difundir a projetos de transformação digital que funcionam em escala local para que as administrações catalãs possam avaliá-las, adaptá-las e/ou implementá-las, minimizando o risco de insucesso e com a conseqüente economia de recursos.

Problemas atuais

Algumas administrações locais catalãs estão implementando com sucesso projetos de transformação digital. No entanto, outros tentaram sem sucesso e muitos nem sequer iniciaram a transformação por medo da mudança, falta de conhecimento ou recursos.

Seria bom que as pessoas envolvidas na transformação digital das administrações que atualmente estão com dificuldades para implantar suas iniciativas e planos futuros tivessem um espaço para encontrar informações e contatos sobre projetos que foram realizados em condições e escala semelhantes. Um lugar que daria respostas e facilitaria o debate sobre:

Quais municípios se transformaram digitalmente nos últimos tempos? Como eles fizeram isso? O que funcionou para eles e o que não funcionou? Podemos entrar em contato com você? E fazer-lhes uma visita? Podemos estabelecer linhas de colaboração?

Ter a oportunidade de encontrar respostas para essas e muitas outras perguntas, poder trocar e compartilhar experiências reais, seria uma verdadeira esperança para os conselhos e órgãos locais da Catalunha que estão atrasados ​​na transformação digital. Não é o mesmo embarcar na aventura sozinho e desarmado do que fazê-lo com a ajuda dos mais avançados e experientes.

Assim, apesar da existência de iniciativas brilhantes e inspiradoras como a Banco de Boas Práticas dos Governos Locais da Catalunha, Observatórios Inteligentes da Catalunha, Plataforma CitiesToBe o Sistema de Informação de Cidades Inteligentes (SCIS) entre os mais conhecidos, acreditamos que há uma necessidade latente negligenciada em nossas administrações locais.

Solução proposta

Queremos colocar à disposição das administrações locais catalãs um espaço de conhecimento que chamaremos de “Observatório DigiCanvis” com duas funcionalidades essenciais:

  1. Base de dados de projetos de transformação digital operando em escala local.
  2. Fórum de discussão para a troca de ideias e experiências inovadoras que facilitem a realização do governo digital no mundo local.

Um serviço com essas características pode levar à abertura de linhas de trabalho e debate sobre a transformação digital das administrações locais catalãs e a conexões inesperadas de experiência e talento.

O ponto de partida do novo serviço será aObservatório de Oportunidades para Tecnologias Disruptivas no Mundo Local criada em 2018. Esta iniciativa teve como foco os projetos mais inovadores implementados em prefeituras ao redor do mundo usando tecnologias disruptivas (blockchain, robótica, inteligência artificial, etc.)

Agora vamos abrir o foco - vamos colocar o grande angular - e vamos observar projetos de transformação digital que nem sempre estarão associados ao uso de tecnologias disruptivas. Às vezes, trata-se de combinar habilmente novas ideias, processos e técnicas organizacionais para obter serviços públicos de qualidade que respondam aos problemas, necessidades e expectativas das pessoas. Como ele disse Capitão Alface, um personagem fictício dos anos 90 que foi a força motriz por trás da mudança social na Catalunha: "Pequenas mudanças são poderosas". Não há receitas ou tecnologias milagrosas. Grandes transformações são a soma de pequenas mudanças habilmente aplicadas: digiChanges.

Portanto, os projetos de transformação digital que iremos documentar se referirão a:

  1. Serviços: Introduzir serviços completamente novos, serviços significativamente melhorados para se adequarem ao novo contexto ou serviços que incorporam pequenas mudanças que, habilmente introduzidas, produzem verdadeiras transformações.
  2. Processos e procedimentos: Redefinir ou criar novos processos e procedimentos administrativos através da introdução de novas técnicas, programas de computador, etc.
  3. Organização: Implementação de novos métodos organizacionais em estágios, organização do local de trabalho ou relacionamento com usuários, usando novas ferramentas e técnicas, como comunidades em rede, ambientes virtuais de aprendizado, trabalho colaborativo e remoto, etc.

Informações da guia

Cada projeto de transformação digital terá um arquivo com informações multimídia estruturadas em 6 níveis:

  1. Título do projeto
  2. Nós locais que o executou e pessoas de contato
  3. Descrição e valor do projeto. Economia gerada
  4. Análise do projeto referente a:
    1. Barreiras e dificuldades
    2. Benefícios e oportunidades
    3. Tecnologia, metodologia e ferramentas utilizadas
  5. Fase em que o projeto está (protótipo, piloto, implantado)
  6. Documentação e material de divulgação: artigos, demonstrações, vídeos, etc.

Duas maneiras de acessar as guias

  1. Por proximidade

    • Projetos Km0: Trabalharemos o conceito de proximidade ou quilômetro zero: o conhecimento é transmitido de boca em boca, se espalha como uma mancha de óleo, promove competição, economia, escalabilidade de projetos e sustentabilidade.
    • Projetos estrangeiros: Vamos trabalhar com a ideia de que as administrações locais ao redor do mundo se movem, fazem coisas, transformam... Nossas administrações não podem ficar paradas. Se você não encontrar um projeto próximo que atenda às suas necessidades, você pode explorar os projetos de governos locais distantes, mas com características semelhantes.
  2. Por áreas

    • Primeira linha de atenção do cidadão: Assistentes virtuais, chatbots, sistema de recolha e exploração de reclamações e sugestões, etc.
    • Serviços e procedimentos: Serviços públicos digitais com visão transversal (interadministrativa), personalizados e proativos. Processamento digital ágil, fácil e seguro; 24h, procedimentos simplificados, fácil de usar (usabilidade) e confiável. por exemplo. Serviço de inscrição e inscrição para cursos e atividades, sistema de gestão integral de bilhetes de transporte, plataforma de contratação pública, etc.
    • Serviços sociais: Serviços públicos digitais na área de serviços sociais Pe Aid recomendador, teleassistência para idosos, etc.
    • Participação e governo aberto: Plataformas, mecanismos e instrumentos de participação cidadã, votação eletrônica, portal de transparência, dados abertos, etc.
    • Planejamento e gestão pública: Sistemas para melhorar o planejamento e gestão pública, ferramentas para facilitar a tomada de decisões e medir o impacto de planos e programas, usando inteligência artificial (IA), aprendizado de máquina (ML) e análise de dados (BigData). Análise preditiva aplicada à mobilidade urbana, segurança e serviços em vias públicas.
    • Transformação integral, mudança cultural: Projetos de transformação digital das administrações públicas com visão integral: tecnológica e organizacional.

Status do projeto

Em construção. Conceituação do observatório e inventário de projetos concluídos. Projeto gráfico e protótipo em processo de confecção.

X