Desafio

Aprenda a inovar em serviços públicos digitais. Quais metodologias, técnicas e dinâmicas são mais adequadas para a inovação pública?

Problemas atuais

Hoje, os sites da administração pública oferecem longas listas de procedimentos eletrônicos, cada um dos quais é uma sequência de etapas exigidas pelo procedimento administrativo que o cidadão deve seguir escrupulosamente, sempre que precisar ou for obrigado a fazê-lo, até a resolução final.

Esses procedimentos são tediosos, pouco eficientes e, claro, não atendem às necessidades e expectativas dos cidadãos. Precisamos buscar novas ideias, tecnologias e processos que nos permitam construir serviços públicos digitais de qualidade, que resolvam os problemas reais das pessoas e que melhorem a experiência do usuário (serviços mais ágeis, convenientes, personalizados e proativos).

Em suma, precisamos inovar nos serviços públicos digitais. Mas fazer inovação pública não é fácil. A inovação pública deve gerar valor público, ser inclusiva e ter em mente que, diferentemente do setor privado, as consequências do fracasso da inovação são maiores porque podem afetar os direitos das pessoas e o meio ambiente. Portanto, para tornar pública a inovação teremos que adotar metodologias únicas que sejam capazes de atender às suas especificidades.

Há uma farta literatura sobre o conceito de inovação e centenas de guias metodológicos, técnicas e ferramentas que facilitam o processo, mas pouco se fala sobre como adaptá-los e/ou aplicá-los à esfera pública, muito menos, de estudos e experiências que abordam detalhadamente as diferentes fases do processo de inovação pública.

  •      Fases do processo de inovação pública:
  1. Entenda o o problema e/ou as necessidades dos cidadãos. Empatia com as pessoas. Observe e colete informações, analise-as, converse com os usuários… e não faça suposições.
  2. Defina a desafio e investigar. Limite o que você quer resolver de forma inovadora. Pesquisa para entender o desafio em profundidade. Analisar oportunidades e alternativas, riscos, etc.
  3. Inventar. Gerar ideias e soluções inovadoras que possam ser traduzidas em projetos reais, viáveis ​​e eficazes.
  4. Prototipagem e testando. Construa protótipos ou projetos-piloto, em pequena escala, e teste-os iterativamente.
  5. Avalie. Depois que a solução for implementada, avalie-a continuamente para aprender e melhorar. Revisar sistemática e periodicamente o serviço para detectar impactos indesejados, poder refiná-lo, adaptá-lo às expectativas das pessoas ou novas necessidades.

Solução proposta

Elaborar um catálogo de recursos de inovação que contenha as metodologias, técnicas e dinâmicas mais úteis para inovar em serviços públicos digitais, que tenham sido testadas e/ou validadas pelas administrações locais.

Cada metodologia, técnica ou ferramenta do catálogo terá um arquivo web com o seguinte conteúdo:

  • Descrição do recurso (metodologia, técnica ou dinâmica)
  • Exemplos de como usá-lo nas diferentes fases do processo de inovação pública
  • Estudos de caso no mundo local
  • Webografia para saber mais

Sobre metodologias:

Os mais adequados para inovar nos serviços públicos são aqueles que permitem obter uma visão clara sobre:

  • A situação atual. SAIBA ONDE ESTAMOS
  • Aspirações e objetivos. ONDE QUEREMOS IR
  • O caminho para chegar lá. QUE CAMINHO DEVEMOS SEGUIR

Entre a gama de metodologias exploradas pela equipe AOC, gostaríamos de destacar três:

  • Pensamento de design: um conjunto de metodologias muito úteis para identificar as necessidades reais dos cidadãos e gerar soluções inovadoras mantendo o foco na melhor experiência do utilizador.
  • Incline: para atender as atividades de validação de ideias ou teste de protótipos, pois permite encontrar os defeitos e ineficiências das hipóteses estabelecidas de forma rápida, e ajustar a solução do problema através de um fluxo contínuo.
  • Ágil: ideal para reduzir o risco e a incerteza inerentes aos projetos de inovação. Ele é baseado em interações curtas (sprints) para que o feedback do usuário seja obtido desde a primeira entrega e permite descobrir rapidamente o que não funciona de forma que os projetos possam ser redirecionados sem causar grandes perdas.

Aprofundamos cada um deles e extraímos os aspectos mais interessantes que podem facilitar as diferentes etapas ou fases do processo de inovação dos serviços públicos digitais.

Essas metodologias serão descritas e desenvolvidas em um arquivo individual do catálogo de recursos públicos de inovação. As restantes metodologias exploradas ("Desing de serviços", "Abordagem sistémica", "Job To Be Done", "Getting Things Done", etc.) encontrar organismos locais que os experimentaram e queiram partilhar a experiência com o resto das administrações.

Sobre técnicas e dinâmicas:

Aprofundando no estudo do Design Thinking conhecemos um conjunto de técnicas e dinâmicas o que pode ser muito útil na compreensão de problemas públicos, geração de ideias, prototipagem, etc. Atualmente, estamos explorando o seguinte:

Cada uma dessas técnicas e dinâmicas terá seu próprio site, que permanecerá aberto à comunidade para que os órgãos públicos que assim o desejem possam enriquecê-lo com sua própria experiência. Haverá também uma caixa de sugestões onde você poderá fazer propostas de novas ferramentas e dinâmicas para descobrir.

Status do projeto

Explorando. Principais metodologias documentadas. Conjunto inicial de técnicas e dinâmicas identificadas e classificadas.

Mais Informações

Fontes de informação consultadas para a construção do catálogo inicial:

  1. Kit de ferramentas de design [UOC. Kit de ferramentas de design que inclui métodos, modelos e princípios para a realização de projetos inovadores]
  2. Caixa de ferramentas para equipamentos dinamizadores [Programa UPC Nexus24. Técnicas e atividades para dinamizar equipes de trabalho e cocriar]
  3. Colaboração de técnicas colaborativass [Programa UPC Nexus24]
  4. Ferramentas para uma transformação digital aberta e ágil [Câmara Municipal de Barcelona]
  5. Kit Inova [Inovação em turnê. Conjunto de ferramentas para facilitar reuniões e visitas de projetos inovadores: Diálogos inovadores e Canvas do projeto baseado em Lean Canvas (pdf)]
  6. Em direção a uma tela para o design de serviços públicoss [ANÁLISE PÚBLICA]
  7. Pensamento de design em espanhol [Laboratório DINNGO. Caixa de ferramentas do Design Thinking em espanhol]
  8. DesignKit: Métodos para Design Centrado no Homem [Ideia. Métodos para liberar a criatividade, colocando as pessoas no centro do processo de design para encontrar novas respostas para problemas difíceis]
  9. Ferramentas de design de serviço [Plataforma aberta de conhecimento desenvolvida no âmbito da cooperação entre INDACO - Politecnico di Milano e DARC - Domus Academy Research and Consulting Center]
  10. manual de serviço digital [Governo Britânico. Manual para criação e implementação de serviços digitais]
  11. Guia de serviços digitais [Governo australiano. Guia para projetar serviços digitais simples, claros e rápidos]
X